Archive for janeiro \31\UTC 2009

Notícias do Ching Li

janeiro 31, 2009

china

O futebol na China está crescendo. Tem um jornalista amigo meu, o Ching Ling, que trabalha por lá e esses dias escreveu contando algumas histórias engraçadas. Ele cobre o dia-a-dia do Lung Lung, que é um dos principais times do país.
Pois bem, o Lung Lung contratou no ano passado o Cheng Yong, um importante reforço que estava jogando num país da Europa famoso pela culinária. Aí, diz o Ching Li, que há uns dias o filho pequeno do Cheng – que garante estar disposto a renovar com o Lung Lung – foi acompanhar os treinos e enquanto o pai treinava, conversava com os repórteres. Papo vai, papo vem e um dos jornalistas pergunta ao pequeno Cheng se ele havia morado no famoso país da Europa quando o pai jogou por lá. De onde o menino prontamente responde:
– Sim. A gente vai voltar pra lá!

Coerência é para os fracos

janeiro 31, 2009

dunga

Coerência, parece, é mesmo para os fracos.
Dunga, 26/01
Dunga diz que Amauri não tem vez na Seleção
“Nos últimos dois jogos ele não manteve o rendimento do resto da temporada”.
“A convovação neste momento, contra a Itália, iria trazer muita pressão, muita cobrança”.

Dunga, 31/01
Dunga convoca Amauri para amistoso

Boas vindas?

janeiro 30, 2009

neander

Não sei em que momento isso aconteceu, mas com certeza é um fenômeno relativamente recente. O certo é que de uns tempos para cá virou comum torcedores – de qualquer time, todos eles – superestimarem-se. A importância da torcida para o clube hoje é dia (afora a questão financeira) é a mesma que tinha em 1920, em 1950 e em 1970: ela apoia na arquibancada. E ponto, acabou aí. Esse papo de que a torcida ganha jogo todo mundo sabe o quanto é mentira. Menos esses torcedores mais doentes, que se acham acima de tudo e todos.
Esses (vá lá, não todos, só uns 90%), por exemplo, que foram “recepcionar” o Herrera ontem no aeroporto. Ninguém me contou porque eu tava lá para cobrir pelo jornal. Eu vi, então posso falar na boa. Eles estão cagando e andando para o jogador, querem a festa pela festa, se é que pular como uns pigmeus é festa. Se pensassem mais no jogador, não teriam cercado o cara aos empurrões e passado 10 minutos dando petelecos na cabeça do cara. Houve um momento em que o coitado do argentino, completamente sem ação olhava pros lados sem saber onde ir. Não tinha escolha, foi empurrado pro estacionamento, com todo mundo correndo. E se ali, num degrau da vida ele cai e torce um tornozelo, a culpa seria de quem mesmo? O que justifica ficar dando tapa e uns pulando nos carros dos outros para saudar um cara que estava visivelmente assustado, mas que obviamente não poderia fazer nenhum comentário negativo contra uma horda? E por favor, não venham com birra de torcida porque cito o exemplo do Grêmio bem ciente de que se fosse a torcida do Inter, do São Paulo ou do Pitinguinhas seria a mesma coisa.
Errou o Grêmio que não mandou um, UM, segurança para a chegada do cara.
Errou a segurança do aeroporto que deu uma cacetada na cabeça de um fotógrafo sem nenhuma razão (aliás, por que tinha um BM segurança uma metralhadora? Ele ia disparar, por acaso?) e que insiste em subestimar a capacidade de confusão das torcidas Gre-Nal.
Erra a torcida ao superestimar sua importância e não dar as boas vindas, mas sim unicamente assustar um novo velho reforço.

W.N.

janeiro 28, 2009

wanda

Maxi López fez apenas três gols no ano passado, mesmo jogando no futebol russo.
Maxi López entrou na seleção dos piores estrangeiros feita por torcedores do Barcelona.
Ninguém sabe se Maxi López está jogando algo ou não.
Alguém precisava achar um bom motivo para o Grêmio contratar ele.
Alguém achou.
Com vocês, Wanda Nara.

Tem um outro vídeo dela na internet, mas acho que não tem muito a ver com futebol, então nem vou colocar o vídeo aqui. Mas se alguém for curioso e quiser mesmo ver o tal vídeo em que ela… enfim… Tem esse link aqui parece, mas eu nem acredito que seja ela…

Download ativo

janeiro 26, 2009

kate1

Mais um pouco e eu diminuo os meus canais da NET. Eu juro, eu não era, mas tô virando um desses ratos de seriado. Há um tempo, a única coisa que eu via era Simpsons. Depois veio Heroes. Depois Lost (eu só comecei quando já estava na terceira, hoje vejo no dia seguinte). Depois Californication. Depois Tell me You Love Me. Depois Fringe. E agora Dexter. E agora (seis temporadas atrasado) Two and a Half Men. E agora talvez esse Lie to Me…? Isso que eu não vejo aqueles de hospital, todos iguais…
Mas sinceramente, tem como ver Lost e não ficar doente pela série?

Fogo amigo

janeiro 26, 2009

Eu desconfiava, tanto que botei no Top 10 dos álbuns do ano passado, mesmo sendo o que menos havia escutado até ali. Mas Friendly Fires é bom demais. De todos os 10, é o que você não para de ouvir (sim, também acho estranho para, e não pára).
Na humilde opinião deste que vos escreve, é o que sairia de uma mistura de Rapture, Frou-Frou e The Postal Service. Ou seja…

Depois que tu baixar o álbum homônimo – sim, tu tem que fazer isso -, vai direto ouvir In the Hospital, Strobe, Paris e Lovesick. Não tão genial quanto as outras, mas com um clipe para lá de bacana, também tem essa Skeleton Boy.

Friendly Fires – Skeleton Boy

Mata-mata

janeiro 26, 2009

tortura

Mudaram a fórmula do Gauchão. Agora tem mata-mata nos dois turnos. Bacana.
Minha sugestão para o ano que vem: faz só mata-mata. Melhor ainda, faz um coisa NBA, uma espécie de melhor de 5 ou de 7 entre Inter e Grêmio. Ou entramos para as semifinais direto com a dupla, mais o Juventude e um outro “campeão do interior”. Porque no final das contas é isso mesmo que dá.
Ou alguém realmente vê prazer em coisas como Grêmio x Esportivo e Inter x São José?

What if…

janeiro 6, 2009

lua

Eu e o Carlos André estamos saindo o Ossip, caminhando pela República, quase esquina com a José do Patrocínio quando em nossa direção vêm dois caras e uma guria.  Não faço a mínima idéia do que eles conversavam, só sei a frase da guria que escutei bem na hora que eles passaram pela gente:

– E se Jesus estivesse na Lua?

Aposta

janeiro 5, 2009

poker

É, a gestão Duda Kroeff começou mal. Não importa as contratações ou saídas de jogadores feitas até aqui. O mais importante é essa saída do Rodrigo Caetano. Ou melhor, para o clube a perda do Caetano. A curto prazo o problema não é tão grande. A médio e longo prazo, vai ficar claro que o clube mediu mal o tamanho dessa perda.
Mauro Galvão. Sempre foi dentro de campo um exemplo de correção, o que é uma característica essencial para qualquer pessoa que pretense assumir um cargo desses. Mas não tem experiência nenhuma nisso. Nenhuma. Confesso que fiquei um tanto quanto constrangido quando hoje entrevistei ele e fiz a pergunta sobre isso. Ele foi por aqui, foi por ali, lembrou que tem experiência em futebol. And that´s all.
Que o Galvão nesse momento é uma aposta acho que é senso comum, inclusive no próprio Grêmio. Eu só não sei se o momento, às vésperas de uma Libertadores, se presta muito para apostas.

Rodrigo

janeiro 3, 2009

O Grêmio vendeu o Rafael Carioca. Não tem problema, sabendo procurar se acha outra volante.

Pode vender o Léo. Não tem problema, sabendo procurar se acha outro volante.

O Grêmio pode vender qualquer jogador que, sabendo procurar, se acha a reposição.

Mas se o Grêmio perder o Rodrigo Caetano, é um erro sem chance de reposição.

Mas o pior é que o Grêmio está perdendo o Rodrigo e acha que isso não dá nada.

Se de fato o dirigente sair, começa mal a gestão Duda Kroeff.

Bem mal.